Está aqui

Guia para coleccionadores de relógios

Artigo
Caixa coleccionador

O hábito de coleccionar objectos remonta à época pré-histórica e sempre esteve intimamente ligado à satisfação que retiramos de juntar artigos que nos deliciam. Embora existam hoje cada vez mais aficionados por relógios, este é um hobby que já tem o seu tempo… Mais do que construir um colecção agradável à vista, quem coleccionar relógios tem o duplo prazer, porque pode perfeitamente usá-los. Quer começar? Então, não vamos perder mais tempo!

Que tipo de colecção?

O primeiro passo é decidir que tipo de colecção quer construir: vai querer reunir relógios da mesma época, do mesmo modelo, designer, país ou material? Ou, por outro lado, prefere uma colecção ecléctica, com uma mistura de maravilhosas máquinas do tempo?

A decisão é sua mas, para que a sua possa ser realmente considerada uma colecção, terá que existir algum fio condutor. Por exemplo: há quem coleccione relógios de uma só marca, relógios mecânicos, digitais ou analógicos, grandes, pequenos, cronógrafos, relógios com mecanismos especiais ou um determinado tipo de complicação (uma complicação é qualquer função adicional à da indicação básica de tempo, como a data) … e esta é a diferença entre ser o proprietário de muitos relógios e ser o proprietário de uma colecção de relógios.

Para além disso, se estiver focado numa só temática, as probabilidades de se especializar nesses relógios são muito maiores. Se é um Swatch ou um Rolex, não interessa – o mais importante é adquirir relógios que lhe agradem e que cumprem o objectivo da sua colecção.

Estudar… com tempo

Se pensa que o passo seguinte é ir a correr à relojoaria mais próxima e fazer logo a primeira compra, engane-se. Há quem o faça e depressa descobre que afinal não era bem aquilo e acaba por vender a peça, provavelmente por um valor inferior. Por isso mesmo, os especialistas deixam um conselho aos principiantes: quanta mais informação possua sobre os relógios que pretende coleccionar, melhor preparado estará para fazer uma compra que o satisfaça, que valha realmente o seu dinheiro e que possa integrar a sua colecção para sempre.

Comece por consultar livros ou revistas específicas, sem esquecer a fonte (quase) inesgotável de informação que é a Internet. Para além de o auxiliar na entrada para este novo mundo, a Internet disponibiliza ainda outra ferramenta poderosa – os fóruns, blogs e newsgroups. Vai conhecer principiantes como você, mas também vai conhecer veteranos, ou seja, os coleccionadores ideais para uma orientação inicial. Após alguns dias ou semanas deste tipo de interacção e partilha de conhecimentos, vai descobrir quais as marcas e os modelos que todos adoram, bem como aqueles que deve evitar. Provavelmente vão lhe ser apresentadas marcas e relojoeiros que nem sequer conhecia. Vai descobrir quais são os melhores locais para adquirir, trocar e vender relógios; como reconhecer falsificações; e recolher opiniões que podem ser úteis se está a tentar decidir a primeira ou a próxima compra.

Para além de ficar a conhecer os actuais preços e tendências do mercado, este estudo prévio vai também ajudá-lo a familiarizar-se com a terminologia dos relógios e da arte da relojoaria, o que é extremamente relevante para quem se quer dedicar à área.

Quanto vou gastar?

Uma colecção não se faz apenas com os relógios mais caros do mundo. Felizmente, existe uma grande variedade de colecções possíveis, com valores bastante razoáveis. Decidido o género e agora que já se informou acerca dos relógios que quer para a sua colecção, determine um orçamento e o número de relógios que vai adquirir no espaço de um ano, por exemplo.

Quando abrir a carteira para pagar a sua próxima compra, há uma regra de ouro a considerar: compre sempre o melhor relógio possível, dentro das suas possibilidades. Apesar dos relógios antigos ou usados valorizarem a sua colecção, a verdade é que juntar o dinheiro suficiente para comprar um relógio novo pode, a longo prazo, ser mais vantajoso para o coleccionador. Isto porque se tiver relógios em condições menos boas, vai sentir sempre a necessidade de comprar mais.

Mantenha uma lista actualizada dos modelos que prendem o seu olhar: marca, modelo funções, preços, o que mais gosta e o que menos gosta relativamente a cada relógio… para poder comparar e analisar bem as suas futuras compras.

Finalmente, é meu!

Dependendo do género da compra, existem um sem número de locais onde pode adquirir relógios para a sua colecção – relojoarias, joalharias, lojas não especializadas, grandes superfícies, antiquários, feiras e até a Internet. Tendo em conta a sua lista ou até um modelo que tenha despertado a sua atenção uma vez na loja, peça para ver apenas três ou quatro relógios – é o número ideal para não confundir no acto da escolha.

Não há nada como ver, tocar e sentir um relógio no pulso – se não gostar de o ver ou não se sentir confortável, não compre. Passe para outro e, claro, quanto mais caro for o relógio, mais cuidadosa deve ser a análise da peça. Verifique se ao dar corda, o movimento ocorre de forma suave; se o mostrador e os aros estão brilhantes e bem polidos; assim como as bordas, que devem estar biseladas. Repare se as letras (do nome da marca) estão nítidas e perfeitas e se os ponteiros estão alinhados.

Realizada a compra, exija sempre a caixa do relógio, a factura e respectivos documentos de autenticidade e de garantia. Guarde sempre os elos, as fivelas e as braceletes suplentes ou outras peças que tenha retirado para acertar o relógio no seu pulso. Se algum dia decidir vender esse modelo, valerá mais se tiver todas as peças e papéis originais.

Pode sempre aprender alguma coisa com as lojas que visita mas, nem todas as pessoas que trabalham com relógios sabem o suficiente sobre os mesmos, por isso, pense bem antes de aceitar os conselhos dos vendedores. Provavelmente nem terá que se preocupar com isso porque fez os trabalhos de casa, não é verdade?

Como qualquer compra online, os mesmos cuidados devem ser aplicados quando se considera adquirir um relógio via Internet.

Guardar & Cuidar

Depois de tanto trabalho, dedicação e dinheiro gasto, não vai enfiar os seus relógios numa gaveta qualquer e esquecê-los, pois não? Em certos aspectos, coleccionar relógios é como coleccionar arte, por isso, devem ser tratados com os cuidados e o respeito devido, para que possam durar uma vida.

Se guardar os seus relógios em ambientes fechados e húmidos que raramente são abertos, como cofres, gavetas ou caixas, o aparecimento de fungos nos mostradores é bastante provável e os estragos provocados serão, no mínimo, dispendiosos. Mantenha a sua colecção num local fresco e seco, optando por caixas próprias para este tipo de colecção. Para além de aconchegar o seu relógio numa posição apropriada, vai ajudar a mantê-lo em perfeitas condições e a dar horas até ao segundo!

Claro que quando tiver vários modelos, não pode colocá-los todos ao mesmo tempo, mas é muito importante o uso regular dos seus relógios. Uma boa solução será a aquisição de um watch winder (um aparelho com estimulação eléctrica que faz com o relógio continue em movimento mesmo quando está parado). Se não for possível, use o relógio pelo menos uma vez de quinze em quinze dias.

Não existem muitas colecções em que o objecto cobiçado pode libertar-se da sua caixa para integrar o quotidiano do coleccionador. Os relógios foram feitos para serem usados, por isso, pode e deve “vestir" os seus! Aliás, quando comprar um novo exemplar, deve sempre considerar se o vai usar o não. Retire o máximo prazer da sua colecção.

A sua votação: 
Média: 4.3 (42 votos)