Está aqui

Relógios Franck Muller: o mestre e as suas complicações

História
Relógio Franck Muller

Não há muito tempo, apresentámos-lhe os relógios Maîtres du Temps, realçando a juventude da marca num meio que se caracteriza pela antiguidade e pela herança de valores tradicionais. No caso da Franck Muller, é o próprio mestre fundador, que também dá nome aos relógios, que se demarca pela sua juventude e invulgar superioridade na criação de complicações: “Mestre em complicações”, é precisamente a sua assinatura.

Nascido na Suíça em 1958, Muller iniciou os seus estudos em relojoaria aos 15 anos de idade, e formou-se no início dos anos 80 – com honra e distinção – na mais prestigiada escola dessa área, a Ecole d'Horlogerie de Genève. O gosto pessoal que tem por mecanismos complexos e complicações levam-no a concentrar todas as suas energias e atenções nessa área específica. Ao mesmo tempo, sendo da opinião que desde os finais do século XIX se têm verificado poucas inovações e invenções na relojoaria (as complicações eram predominantes em relógios de bolso, mas extremamente raras e limitadas nos de pulso), opta por criar a sua própria linha, colmatando essa falha e dispondo-se a dar ao mundo algo verdadeiramente novo!

Os primeiros relógios surgiram logo em 1983, desenvolvendo complicações inéditas em relógios de pulso, e desde 1986 que apresenta uma inovação, as famosas “World Premières”. Franck Muller apenas criou a empresa em 1992, mas nessa altura o seu nome era já sinónimo de qualidade ímpar e superior – no mesmo ano lançava o relógio de pulso mais complicado do mundo, com mais de uma dezena de complicações, um feito que viria a repetir seis anos mais tarde. Outros marcos na sua ainda curta história são a criação do turbilhão mais pequeno do mundo, também em 1998, atingindo a consagração anos mais tarde com a vitória do Grand Prix de Relojoaria de Genebra.

O que mais distingue os relógios Franck Muller é exactamente a sua complexidade: todos os modelos e colecções, sempre mecânicos, são dotados de complicações inovadoras que levam aos limites a sabedoria e experiência da alta relojoaria suíça. Se a isto juntarmos o hábito de lançar com frequência edições especiais, extremamente limitadas, compreendemos o porquê de, em 2006, os relógios Franck Muller terem sido considerados os relógios mais prestigiantes dos E.U.A., num inquérito feito a mais de 400 milionários, ultrapassando nomes titânicos como Patek Philippe, Breguet ou o mais popular Rolex.

Contudo, esta relojoaria consegue ir ainda mais além, não se ficando pela sensacional e inovadora qualidade das suas peças. Franck Muller concretizou mais um sonho quando inaugurou, em 2001, a “Franck Muller Watchland”, um imenso complexo que, fiel ao espírito tradicional da alta relojoaria suíça, concentra todos os meios e passos de criação e fabrico dos relógios, desde a sua concepção até ao produto final.

As edições especiais de alguns modelos são um dos pormenores mais apreciados dos relógios Franck Muller. E Portugal já teve também direito a algumas delas, como por exemplo a edição especial a propósito do centenário do Sporting Clube de Portugal (limitada a 36 exemplares) ou o Conquistador Jorge Nuno Pinto da Costa, de 2004, a propósito das conquistas europeias do Futebol Clube do Porto. A mais recente “prenda” (no valor de €60,000 | R$145,000) é a edição limitada “Pride of Portugal”, composta por três modelos semelhantes, em materiais diferentes.

Estas edições especiais têm como base as colecções normais, que na prática, pouco têm de “normal”. O que motiva a criação de um relógio Franck Muller é a inovação que ele trará, e não a necessidade de acrescentar um modelo a uma colecção. Ainda assim, podem ser identificadas 10 colecções, cujos modelos oscilam entre mecanismos de corda e automáticos, sempre mecânicos, e com um formato quadrangular ou rectangular, com os lados das 3 e das 9 horas suavemente ovais – um formato patenteado que é também ele um símbolo da marca.

Desde relógios mais clássicos a modelos joviais e divertidos, no geral a Franck Muller tem uma identidade marcadamente clássica e formal. As colecções principais são a Cintrée Curvex, Casablanca, Chronograph, Colour Dreams ou Conquistador são os modelos mais “simples”, com funções que oscilam entre o cronógrafo, calendário (por vezes perpétuo), ou mesmo turbilhão. Por entre as colecções destacam-se algumas particularidades, invenções de Muller, como por exemplo a Crazy Hours, que coloca as horas de forma aleatória: em vez de seguir a ordem normal de 1 a 12, segue uma sequência de 1 hora, 6, 11, 4, 9, 2, 7, 12, 5, 10, 3 e 8 horas. E sim, o respectivo ponteiro respeita a indicação numérica, pelo que conseguir perceber que horas são será um autêntico desafio!

O preço dos relógios Franck Muller é directamente proporcional ao grau de complicação dos mesmos, começando pelos €4500 | R$11,000.

Existem depois colecções que concentram complicações bem mais avançadas. Entre elas, a Aeternitas merece sem dúvida todo o destaque. O modelo mais elaborado conta com cronógrafo rattrapante, turbilhão, dia da semana, dia do mês, mês, reserva de corda, duplo fuso horário, calendário perpétuo, equação do tempo e fases da lua. Uma obra-prima com o valor de €700,000 | R$1,700,000… talvez seja esse o preço da perfeição.

Fruto do génio daquele que é considerado o melhor relojoeiro mundial da actualidade, que concebe pessoalmente cada uma das novas invenções que lança anualmente, os relógios Franck Muller falam por si. E com apenas 50 anos de idade, é caso para nos perguntarmos que mais é que Muller dará à alta relojoaria!

A sua votação: 
Média: 4.9 (32 votos)