Está aqui

Conhecendo o El Primero – a precisão levada ao extremo

Notícia
Zenith El Primero

Não é de um relógio que falamos hoje, mas sim de um movimento: o El Primero, a lendária criação da Zenith, que entra à máxima força na sua quarta década de vida… e com a máxima precisão.

Para falar do El Primero, é necessário falar do seu passado. Regressemos por isso a 1969, ano que ficou marcado pela chegada do Homem à lua, marcando dessa forma um dos maiores feitos tecnológicos e científicos de toda a História. A Zenith, então recém-centenária, contava já com várias centenas de distinções pelas suas inovações e feitos no âmbito da horologia mas, nunca conformista, continuava em busca de mais. E foi também nesse ano, mais concretamente em 10 de Janeiro, que era lançada mais uma inovação, uma estreia mundial que elevaria os padrões do engenho até níveis jamais vistos.

Movimentos automáticos já existiam há séculos; relógios cronógrafos também já deixaram de ser novidade, mas um cronógrafo potenciado por um movimento automático eram águas que nenhuma Casa se atrevera a navegar. A Zenith não se limitou a fazê-lo: fê-lo de forma perfeita.

Produzir um movimento El Primero não era (e não é) fácil. Até que veja a luz do dia, serão necessários nove meses de trabalho por parte de vinte mestres relojoeiros, cada qual com um papel específico e essencial no produto final, num total de 5500 operações!

Estes números traduzem a exigência e mestria por trás de um El Primero; e mais números traduzem a sua qualidade técnica.

Este movimento tem uma alternância de 36000 vibrações por hora. Isto significa que no espaço de um ano terá ultrapassado o astronómico valor de 315 milhões de vibrações. Ora, se uma hora tem, no total, 3600 segundos, isso significa que o El Primero produz 10 vibrações por segundo. Esta precisão ainda hoje inigualável (num movimento deste tipo) é o derradeiro trunfo do histórico movimento.

O ponteiro do cronógrafo que indica os segundos, saltantes, traduz visualmente esta precisão, através de um pequeno salto a cada décimo de segundo; ao ser parado, um impecável mecanismo de travão bloqueia o ponteiro de forma extremamente precisa, o que contribui – e enaltece – a exactidão da medição de tempo. A tudo isto se junta a grafia do mostrador, que além das marcações para horas e minutos, inclui um segundo marcador, exterior, dedicado ao contador de segundos (ponteiro central), o que permite a medição e respectiva leitura de intervalos tempo, com uma precisão levada ao extremo, até à décima de segundo.

Marca: