Está aqui

Haldimann Horology H8 Flying Sculture – será um relógio?

Notícia
Haldimann Horology H8 Flying Sculture

Parece um relógio. Caixa de platina, pulseira negra de genuína pele de crocodilo, a coroa lateral e soa nele o inconfundível ‘tic-tac’. Mas… não qualquer ponteiro. Na verdade, não tem qualquer elemento, que não um turbilhão central como que suspenso no vácuo… na eternidade. Nele, não conseguirá nunca ler as horas. Será então um relógio?

O ateliê chama-se Haldimann Horology, com a assinatura do mestre Beat Haldimann. Mais do que uma indústria, é uma filosofia, uma arte na mais pura acepção da palavra. E o H8 Flying Sculptura não é um relógio, mas antes uma ‘obra de arte horológica portátil’, uma escultura dinâmica em constante movimento, que centra forçosamente toda a atenção numa das mais belas peças que a relojoaria produziu: o turbilhão.

A caixa, de platina, é absolutamente normal. Perfeita, lisa, clássica, com a coroa que permite dar a corda ao movimento manual do H8 às 3 horas. Ou, bem vistas as coisas, o que seria normalmente “às 3 horas”. O fundo negro não tem qualquer inscrição, nem um logótipo, o nome da marca, do modelo… nada. Apenas um negro intenso e absorvente, que elimina todo e qualquer possível motivo de distracção, para que nos possamos concentrar na verdadeira razão de ser desta peça: como que numa vitrina de um museu, bem no centro do H8 surge o turbilhão, tão belo quanto engenhoso.

E é este o motivo de Beat Haldimann criar um ‘’relógio’ como este, um espelho exacto da filosofia do ateliê, da sua maneira de estar e de encarar a arte de fazer relógios. E, de facto, ao olhar para o H8 Flying Sculptura, percebemos imediatamente essa filosofia, dispensando apresentações institucionais para compreender quem é o autor, o que é a Haldimann Horology.

Quem desejar ser dono desta peça de arte terá apenas uma opção. Dirigir-se a Thun, na Suíça, e fazer a encomenda directamente a Haldimann. Que será, tempos depois, quem lhe fará a entrega.

Conheça e veja mais do H8 Flying Sculptura aqui.