Está aqui

Luta contra falsificações chega ao Brasil

Notícia

A luta contra falsificações que a Fundação de Relojoaria atravessa está em vias de apostar numa nova frente de batalha: o Brasil e a outros países da América do Sul, uma região onde cópias e réplicas abundam.

Esta campanha já dura há largos meses, por iniciativa conjunta da Fédération de l'Industrie Horlogère Suisse (Federação da Indústria da Relojoaria Suissa) e da Fondation de la Haute Horlogerie (Fundação da Alta Relojoaria), passando pela generalidade dos meios especializados, online e físicos. Sob a premissa “Relógios falsos são para pessoas falsas” e com a assinatura "Seja autêntico, Compre verdadeiro", tem como principal objectivo sensibilizar o consumidor a preferir apenas produtos originais e de qualidade, rejeitando logo à partida a opção consciente por falsificações ou, como são eufemísticamente conhecidas, réplicas.

A nova batalha, e sobretudo a que será agora empregue na América do Sul, terá um objectivo bem mais prático: confiscar e destruir falsificações junto dos próprios vendedores, assim como empreender os meios legais consequentes. Estas cópias, maioritariamente provenientes da Ásia (sobretudo China), encontram-se extremamente disseminadas quer por lojas físicas, quer na própria Internet; tudo aponta para que ambos os “mercados” sejam visados.  O primeiro passo já foi dado: sensibilizar as autoridades e entidades competentes para empreender esta campanha, que terá a colaboração da Fundação e de outras marcas interessadas.

O Brasil e o Paraguai serão os dois primeiros países onde se focarão os esforços desta luta que poderá nem sempre ser visível para o público geral, mas que o será certamente junto dos vendedores de falsificações. Quantos milhares – talvez milhões – de relógios falsos serão apreendidos?