Está aqui

As melhores complicações de 2010 – inovação sem limites (parte 1)

Artigo
Relógios com complicações

Ao longo de três séculos, os mestres relojoeiros têm-se esmerado para inovar e criar verdadeiras peças de arte com complicações nunca antes vistas. Umas mais úteis que outras, é certo; algumas serão mesmo não mais do que um capricho técnico que resulta da pura genialidade de um perito, sem grande aplicação ou funcionalidade prática. Mas quem pensava que ao fim de 300 anos já nada haveria para inventar não podia estar mais enganado. A criatividade e genialidade presente nas oficinas de relojoaria parece estar ao rubro, e 2010 tem sido fértil em funcionalidades e complicações espantosas, muitas delas inéditas. Conheça algumas delas!

Chopard - L.U.C 150 All in One

O nome deste Chopard é elucidativo: tudo em um. E de facto parece ter sido esse o objectivo dos mestres por trás do L.U.C 150, que celebra os 150 anos da marca.

Listemos as funções disponíveis: horas, minutos e segundos, como não poderia deixar de ser; data, dia, mês e ano compõem o calendário perpétuo; claro está, o calendário lunar não poderia faltar; juntemos-lhe um turbilhão e um mostrador de 24 horas e, para terminar em beleza, a interessante e difícil complicação ‘equação do tempo’, que apresenta a diferença entre a hora solar e a hora convencional. É suficiente?

Tudo isto baseia-se num movimento manual de alta frequência, com uma alternância de 28,800 vibrações horárias, cuja exactidão é certificada pela C.O.S.C., o que lhe garante a denominação cronómetro, e a sua perfeição é assegurada pela presença do prestigiante Poinçon de Genève. Com todas estas funções e características, é incrível que tenha uma carga máxima de 189 horas – superior a uma semana!

Limitado a 45 exemplares (15 com caixa em ouro branco, igual quantidade para versões em ouro rosa e ouro rosa com diamantes), é um relógio que não se destaca por uma complicação específica, mas sim pelo fantástico conjunto de funções. Assim se fazem os grandes relógios!


deLaCour - Birepetition

A hora dupla é uma função bastante comum; a repetição é uma das complicações tecnicamente mais exigentes e difíceis de conseguir, apesar de serem cada vez mais as marcas que o conseguem. Mas juntar as duas funções, e ter uma repetição independente para dois fusos horários diferentes é algo que só a deLaCour se atreveu.

O nome diz tudo,  Birepetition, e ilustra o incrível feito atingido com este relógio. Ao centro, o grande ponteiro dos minutos gira sobre dois mostradores retrógrados de horas; à esquerda, o fuso horário principal (com ponteiro azul como o dos minutos) e à direita um segundo ponteiro, para um segundo fuso horário, no mesmo ouro rosa que a caixa. No topo, ainda um calendário lunar e, na base, a data.

Em cada um dos lados da caixa encontram-se as alavancas que accionam os mecanismos de repetição, específicas para cada um dos fusos horários, em tonalidades diferentes.

A rondar os €550,000 | R$1,250,000, o Birepetition da deLaCour não estará ao alcance de qualquer um. Mas não estaria de qualquer forma: é limitado a 22 exemplares.


Milus - Tirion Répétition Minutes Triretrograde

Este não será certamente o relógio mais avançado ou inovador desta selecção. Mas por vezes o interesse está precisamente na beleza da simplicidade. Este relógio Milus é um bom exemplo disso mesmo.

E é de assinalar quando o principal destaque deste modelo não é uma complicação tecnicamente exigente como o é a repetição de minutos, que o Tirion tem de facto, accionada no bonito botão às 9 horas visível na foto. Mas destaca-se sobretudo a forma original como apresenta os segundos. Com três marcadores de 20 segundos cada, os respectivos ponteiros dos segundos vão assinalando de forma progressiva a passagem do tempo, regressando ao início findo o seu período.


Seiko – Quartz Astron (Edição comemorativa)

Será que um relógio de quartzo tem lugar numa listagem como esta? Acreditamos que sim, quando se trata do movimento deste tipo mais preciso de sempre.

É comum falar-se em precisão, na exactidão da medição do tempo e da fiabilidade desse registo. Mas quando o contexto desse tema são relógios mecânicos, essa precisão nunca será absoluta: é um facto que um relógio mecânico terá sempre desvios. A edição comemorativa do Quartz Astron, lançada em 2009 para celebrar os 40 anos do primeiro relógio comercial com movimento de quartzo, leva ao máximo a noção de exactidão: é dez vezes superior a outros movimentos deste tipo.

Em termos comparativos, a edição comemorativa de outro relógio desta marca, o Grand Seiko, recorre à famosa Spring Drive criada pela Seiko (movimento electromecânico), tratando-se do relógio mais preciso do mundo por entre os que recorrem a uma mola principal. A sua exactidão ronda um segundo por dia; o Quartz Astron ronda os 10 segundos por ano!


Ulysse Nardin – Freak Diavolo

O funcionamento deste relógio será suficiente para captar a atenção. Todo ele giratório, o Freak Diavolo da Ulysse Nardin indica apenas horas, minutos e segundos, mas a forma como o faz é verdadeiramente interessante.

Ao fundo, as horas são apresentadas através de um disco; em primeiro plano, a estrutura principal deste relógio, que gira toda ela ao longo de uma hora, indicando numa das extremidades os minutos e, na outra, os segundos, através de um turbilhão maravilhosamente suspenso.

De corda manual e com uma carga máxima de 8 dias, é um relógio único e fascinante.

Não perca na próxima semana a continuação desta selecção!

A sua votação: 
Média: 5 (1 vote)