Está aqui

Relógios de mergulho

Artigo
Relógio de Mergulho MTM

Exigir a perfeição

Com o desenvolvimento da alta relojoaria e consequente aperfeiçoamento dos seus componentes, foram surgindo relógios específicos para determinadas actividades e profissões. É o caso dos relógios dedicados à aviação, ao meio náutico, ou dos cronógrafos ultra-precisos para o meio desportivo. Foi nesse âmbito que surgiram os primeiros relógios de mergulho, especialmente adaptados às difíceis condições que essa prática exige.

Os primeiros exemplares foram criados por necessidade militar no início dos anos 30. A marca italiana (com oficina suíça) Panerai foi das primeiras a especializar-se nesta área, fornecendo a marinha italiana até ao final do século. Contudo, o primeiro relógio na história especialmente concebido para uso em mergulho foi o Omega Marine, de 1932.

Nos dias que correm, os relógios de mergulho não são tanto uma ferramenta essencial como o foram no passado. Essas, apesar de terem um formato similar a relógios de pulso, são na verdade computadores de mergulho, equipamentos electrónicos com uma enorme variedade de funções e medições técnicas, utilizados exclusivamente durante a actividade subaquática.

Já o relógio de mergulho é um acessório que também pode ser utilizado no quotidiano, muito apreciado por mergulhadores e por coleccionadores no geral. Aquando do mergulho em si, assume o importante estatuto de instrumento auxiliar, que pode chegar a ser vital em caso de falha do computador. Apesar de existirem em formato digital (e nesse caso já se aproximam dos computadores de mergulho, incluindo várias funções adicionais), a grande maioria deste tipo de relógios é analógica.

São também um símbolo de perícia da relojoaria, e é precisamente por isso que muitas das marcas de topo incluem relógios de mergulho nas suas colecções, ou criam mesmo colecções específicas de mergulho. A resistência a altas pressões, a perfeição do complexo mecanismo e a qualidade do movimento são elementos essenciais, e aos quais o mergulhador confia a sua própria vida. Como tal, não é qualquer marca que é capaz de conceber um relógio desta natureza.

Definir a diferença

Existem algumas características obrigatórias para um relógio de mergulho poder ser considerado como tal. Uma delas é a luneta graduada unidireccional.

Originalmente criada pela Rolex com o Submariner, inclui uma marcação graduada de, habitualmente, 15 ou 20 minutos, e é das funcionalidades mais úteis para os mergulhadores. É utilizada para dar uma noção exacta do tempo disponível que há para o mergulho, relativamente à duração da botija de oxigénio que o mergulhador carrega. Basta rodar o indicador para a hora em que submerge para ter sempre uma indicação precisa de quanto tempo ainda lhe resta.

Para mergulho a maiores profundidades, é crucial existir um visor luminoso que garanta a boa leitura. Um aspecto por vezes esquecido é a atribuição de luminosidade também ao ponteiro dos segundos, sem a qual o mergulhador não poderá ter a noção imediata se o relógio se encontra de facto em funcionamento.

Uma pulseira flexível e adaptável é outro dos elementos importantes a ter em conta. Poderá ser em aço inoxidável, em borracha ou em tecido ultra-resistente, como nylon balístico.

No âmbito da resistência à água, convém ter em conta que num relógio de mergulho o que conta verdadeiramente é a resistência à pressão de água. Ainda que pareçam dois conceitos semelhantes, acabam por fazer toda a diferença.

Por isso mesmo existe a norma internacional de qualidade ISO 6425, que controla a resistência e, em última instância, define o que é de facto um relógio de mergulho. É por esta norma que se regem as marcas e, para serem aprovados, os relógios são submetidos a um conjunto rigoroso de testes. Aí é analisada a resistência à pressão da água nas profundidades anunciadas – na verdade o teste é feito a 125% do valor prometido pela marca, de modo a garantir uma margem de manobra ao mergulhador – e a alterações súbitas de pressão. Outros factores, como funcionamento em altas e baixas temperaturas, resistência ao choque e à corrosão salina, bem como ao magnetismo são também analisados e testados.

Esta norma distingue assim relógios de mergulho de relógios que são apenas à prova de água. Enquanto que estes últimos podem alegar uma resistência até 100 metros de profundidade, não são indicados para a prática de mergulho, mas revelam antes um isolamento eficaz que permite lidar com água ou estar dentro dela durante curtos espaços de tempo. Num relógio de mergulho a resistência mínima é de 100 metros (ou 300m para mergulho de longa duração e/ou de grande profundidade).

Fazer a diferença

Várias marcas têm modelos que permitem profundidades bem superiores a essa e que chegam com frequência aos 1000 metros. Na verdade não existe nenhum fundamento prático para essa profundidade, uma vez que a média do mergulhador habitual é menos de metade dessa valor (o próprio recorde mundial é pouco superior a 800 metros). No entanto, a alta capacidade desses relógios explica-se com o desejo das relojoarias mostrarem a sua capacidade de produzir sempre mais e melhores equipamentos. Será talvez esse o motivo que explica a existência de relógios como o Sinn UX EZM 2B, o Technomarine Abyss ou o MTM Black Seal, que mantêm o isolamento em profundidades até aos 12,000 metros – provavelmente só não permitem mais porque não existe no planeta nenhum local mais profundo.

Mas se falarmos em relógios históricos, o principal será inevitavelmente o Rolex Submariner. Criado nos anos 50, foi o relógio usado por James Bond nos primeiros dez filmes, o que popularizou em larga escala este tipo de equipamento. Mais recente, e a principal referência da marca, é o Rolex Sea-Dweller, com capacidade até aos 1200m e usado profissionalmente por várias empresas de mergulho e trabalhos subaquáticos.

O Omega Seamaster, pioneiro, existe ainda com colecções modernizadas e atraentes – e conquistou o pulso de Bond, destronando o Rolex que usava desde sempre.

Seja por necessidade, por colecção ou apenas por gostar do seu aspecto, haverá sempre um bom motivo para ter um relógio de mergulho, mesmo que o mundo subaquático não o cative!

A sua votação: 
Média: 4.5 (22 votos)