Está aqui

Relógios Zenith: a arte de fazer relógios

História
Relógio Zenith

Não são muitas as relojoarias de topo que se podem orgulhar de criar os seus próprios movimentos. Das poucas que o fazem, a Zenith é verdadeiramente única, autora do mais rápido e preciso movimento existente, premiada por 1535 vezes ao longo dos seus quase 150 anos de existência!

As origens remontam ao ano de 1865, no Cantão (suíço, claro está) de Neuchâtel, quando Georges Favre-Jacot abriu uma oficina que reuniu os melhores peritos em relojoaria da região. Desde logo Favre-Jacot definiu-se como um criador de relógios, elaborando o seu próprio movimento, e a qualidade dessa mão-de-obra especializada depressa produziu frutos. Apenas 10 anos depois contaria já com mais de um milhar de funcionários, e fecharia o século da melhor forma possível: medalha de ouro na Exposição de Genebra em 1896 e uma distinção na Exposição Universal de Paris em 1900.

O passar dos anos veio consagrar a qualidade superior dos relógios Zenith. Nos anos 20 estava já representada em 6 países, com mais de 2 milhões de unidades produzidas. Na década seguinte equipava as marinhas francesa, italiana e inglesa. Ao mesmo tempo, a marca continuou a desenvolver e a aperfeiçoar novos movimentos, até que em 1969 cria aquele que é ainda hoje um marco da alta-relojoaria: o El Primero, com uma autonomia de 50 horas, produz 36 mil vibrações por hora e fornece uma precisão capaz de medir intervalos de um décimo de segundo – é, ainda hoje, o único movimento cronógrafo capaz de o fazer. Várias outras marcas viriam a utilizar o El Primeiro, incluindo a Rolex (ainda que adaptado e reduzido a 28 mil vibrações por hora).

Em 1994 nasce o Elite, um novo movimento extra-fino que é hoje a base de grande parte dos relógios da marca (juntamente com o El Primero).

Em 1999 a Zenith foi comprada por um dos maiores grupos mundiais de artigos de luxo, a LVMH (que integra marcas como a Moët et Chandon, Chaumet, Dior, Louis Vuitton, DKNY, TAG Heuer e muitas outras). Fruto dessa aquisição, os anos seguintes testemunharam uma autêntica revolução na Zenith, sem nunca desrespeitar o legado centenário da marca, mas antes adaptando-o ao século XXI.

É nesse âmbito que surgem as colecções hoje existentes: BabyDoll, Star Rock, Queen of Love e Starissime são quatro colecções distintas para mulher, que permitem oferecer verdadeiras peças de joalharia ornamentadas com cristais e diamantes às apaixonadas da alta-relojoaria.

Para o público masculino, a Zenith elaborou as colecções Academy, Class, Port-Royal, Defy e Chronomaster, esta última a mais célebre. A oferta é bastante vasta, incluindo relógios desportivos (Defy), clássicos (Class), ou peças estonteantes como os modelos Academy.

Uma das características mais presentes nos relógios Zenith é a abertura no visor que permite ver o coração do relógio em acção. Um pequeno detalhe que possibilita aos especialistas exibir toda a sua arte em funcionamento.

A inovação não pára, e em 2008, foi apresentado em Genebra um novo calibre baseado no El Primeiro, o Tourbillon Zero-G, que, através de movimentos verticais e horizontais, elimina a acção da gravidade, fornecendo uma precisão ainda superior.

Escusado será dizer que o valor de um relógio Zenith não é muito acessível. Os modelos mais baratos, das colecções femininas, rondam os €1,500, mas o preço médio é três vezes mais do que esse valor, e pode mesmo chegar aos €30,000. Claro está, sem contar com as edições especiais…

Marca: 
A sua votação: 
Média: 4.5 (39 votos)