Está aqui

A mais antiga representação de um relógio

Notícia
Relógio antigo

Trata-se de uma descoberta que promete deixar em alvoroço o mundo da pintura e o da relojoaria: um quadro no qual se encontra representado um homem e o seu relógio. O que tem de importante? O facto de este quadro ter 450 anos e ser por isso a mais antiga representação de um relógio de que há registo.

Do relógio e do seu funcionamento ou autoria pouco se sabe, mas a identidade do seu proprietário revela alguns indícios quanto ao motivo do relógio figurar na pintura.

Trata-se de um retrato do Grão-Duque da Toscana, Cosmo I de Medici, que se sabe ter sido um apaixonado e patrono das ciências. Neste retrato, Cosmo I exibe orgulhosamente o instrumento que, para a época, constituía uma enorme complexidade tecnológica, o que nos poderá levar à interpretação de o retrato ser afinal do relógio, e não tanto do homem: de este quadro ser, afinal, um hino à sua paixão pela descoberta e engenho que caracterizou o renascimento.

Apesar de já estar na posse do Museu da Ciência (em Londres) há três décadas, só agora, quando era preparado para exibição, este “pequeno pormenor” chamou à atenção dos peritos. Enquanto as investigações prosseguem, o quadro pode já ser visto na galeria do Museu inteiramente dedicada à relojoaria, intitulada “Mesuring Time”, e que inclui ainda outras 500 verdadeiras obras de arte. Fica a sugestão do Relogiolândia.