Está aqui

Romain Jerome Eyjafjallajökull DNA – no calor do momento

Notícia
Romain Jerome Eyjafjallajökull DNA

Só agora a Europa começa a recuperar dos fortes contratempos – para usar um termo eufemístico – causados pela erupção do vulcão islandês Eyjafjallajökull, e já a Romain Jerome avança com um exemplar que tem tanto de insólito como de belo: uma edição especial, e única, da sua colecção de lendas DNA, que incorpora no seu mostrador… o próprio vulcão.

Ou parte dele, é certo. Mas para compreender este relógio é necessário contextualizá-lo.

A Romain Jerome conta já no seu portefólio com vários exemplares que carregam em si, de forma tão literal quanto possível, o peso das grandes lendas e marcos da história. Esta colecção, ‘DNA’, tem o seu auge em dois modelos cujo nome fala por si: Titanic DNA e Moon Dust-DNA. O primeiro incorpora na sua caixa e mostrador pedaços do próprio malfadado navio, extraídos em expedições submarinas e cuja raridade e valor é desnecessário realçar; o Moon Dust-DNA, apesar de não ser totalmente inédito – também Louis Moinet, por exemplo, o fez – incorpora também um misticismo dificilmente equiparável.

O Eyjafjallajökull DNA segue a mesma linha. Apresentado ainda em Abril de 2010, meros dias após o levantamento das restrições aéreas que paralisaram não só a Europa, mas também o mundo, é ainda um projecto. Mas os elementos estão todos lá: o mostrador e partes da caixa serão feitos com as próprias cinzas e rochas expelidas pelo vulcão islandês, acompanhados de um certificado de origem dos elementos. Os ponteiros do relógio, provocadores, voam sobre um belo efeito estético que coloca o relógio em eminente erupção.

O objectivo deste relógio, de acordo com Romain Jerome, será lembrar a fragilidade da espécie humana face à imponência e infinito poder da natureza. Talvez seja apropriado que o seu dono – já foi confirmado que será exemplar único – seja proprietário de uma transportadora aérea?